7 hábitos comuns das pessoas infelizes

pessoas infelizes

Pessoas Infelizes

“Muito pouco é necessário para fazer uma vida feliz; está tudo dentro de si mesmo, na sua forma de pensar.”
Marcus Aurelius

“Sejamos gratos às pessoas que nos fazem felizes, elas são os jardineiros encantadores que fazem as nossas almas florescer.”

Marcel Proust

 

As circunstâncias podem certamente tornar a vida infeliz. Mas uma parte – muitas vezes uma grande parte – da infelicidade vem do nosso próprio pensamento, comportamento e hábitos.

Neste artigo eu gostaria de partilhar sete dos hábitos diários mais destrutivos que podem criar um pouco de infelicidade dentro de nós e no nosso próprio mundinho.

Mas também vou partilhar o que resultou, o que me ajudou a minimizar ou superar esses hábitos na minha vida.

1. Aspirar à perfeição.

Será que a vida tem de ser perfeita para que você possa ser feliz?

Você tem que se comportar de uma maneira perfeita e obter resultados perfeitos para ser feliz?

Então a felicidade não vai ser fácil de encontrar. Definir o limite para o seu desempenho a um nível desumano geralmente conduz a uma baixa auto-estima, e dá-lhe a sensação que você não é bom o suficiente, mesmo que você possa ter tido um monte de bons ou excelentes resultados. Você e aquilo que faz nunca é suficientemente bom, excepto talvez de vez em quando, quando sente que algo corre de forma simplesmente perfeita.

Como superar esse hábito:

Três coisas que me ajudaram a largar o vício do perfeccionismo e a tornar-me mais relaxado:

  • Aspire ao “suficientemente bom”. O objectivo da perfeição acaba geralmente num projecto ou em qualquer outra coisa que nunca vai ser concluída. Então, em vez disso, estabeleça um objectivo que seja suficientemente bom. Não o utilize como desculpa para abrandar. Simplesmente perceba que existe algo chamado suficientemente bom, e quando você lá chega, está a concluir a sua tarefa.
  • Estabeleça um prazo. Eu estabeleço prazos de cada vez que começo com um novo guia premium. Porque há cerca de um ano atrás, quando eu estava a trabalhar no meu segundo e-book, percebi que trabalhar apenas naquilo e deixá-lo quando estivesse feito não iria funcionar. Porque eu poderia sempre encontrar coisas para acrescentar. Então tive de definir um prazo. Estabelecer um prazo deu-me um grande impulso, e é geralmente uma boa maneira de ajudá-lo a deixar de insistir na necessidade de aperfeiçoar demasiado as coisas.
  • Perceba o que custa quando você se deixa levar pelos mitos da perfeição. Esta foi uma razão poderosa para deixar de ser perfeccionista, e é o que eu ainda digo a mim mesmo quando encontro pensamentos de perfeição a surgirem na minha mente. Ver demasiados filmes, ouvir demasiadas músicas e acreditar que o mundo está a dizer-lhe que é tudo muito fácil conduz à ilusão da perfeição. Parece tão bom e maravilhoso e é isso que você quer.

Mas na vida real, a realidade confronta-nos, e tende a causar muito sofrimento e stress dentro de si e nas pessoas ao seu redor. Ela pode prejudicá-lo ou possivelmente levá-lo a terminar relacionamentos, trabalhos, projectos, etc., só porque as suas expectativas são irreais. Acho que é muito útil lembrar-me apenas deste simples facto.

2. Viver num mar de vozes negativas.

Ninguém é uma ilha. As pessoas com quem socializamos, aquilo que lemos, vemos e ouvimos tem um grande efeito sobre a forma como nos sentimos e pensamos.

Torna-se muito mais difícil ser feliz se você se deixar arrastar pelas vozes negativas. Vozes que lhe dizem que a vida vai, em grande parte, ser sempre infeliz, perigosa e cheia de medo e limites. Vozes que vêem a vida de uma perspectiva negativa.

Como superar esse hábito:

Substituir essas vozes negativas com influências mais positivas é muito poderoso. Pode ser como um novo mundo a abrir-se.

Então, passe mais tempo com pessoas positivas, oiça música inspiradora, leia livros, veja filmes e programas de TV que o façam rir e pensar sobre a vida de uma nova maneira.

Você pode começar pelas coisas pequenas. Por exemplo, tente ler um blog ou um livro motivador, ou ouvir um áudio-book enquanto toma o pequeno-almoço, durante esta semana, em vez de ler o jornal ou ver as notícias da manhã na TV.

3. Ficar demasiado preso ao passado e ao futuro.

Gastar muito do seu tempo no passado e reviver velhas memórias dolorosas, conflitos, oportunidades perdidas e assim por diante pode magoar muito. Gastar muito do seu tempo no futuro e imaginar como as coisas podem correr mal no trabalho, nos seus relacionamentos e com a sua saúde pode construir cenários de pesadelo horripilante, a martelar e martelar na sua cabeça. Não estar aqui e agora na vida, como muitas vezes acontece, pode levá-lo a perder imensas experiências maravilhosas.

E isso não é bom, se você quer ser mais feliz.

Como superar esse hábito:

É praticamente impossível não pensar no passado ou no futuro. E é claro que é importante planear para amanhã e para o próximo ano, e tentar aprender com o passado.

Mas viver constantemente nessas coisas raramente ajuda.

Então, eu tento da melhor forma que posso passar o resto do meu tempo, a grande parte do meu tempo, dia a dia, com a vida deste momento. Estar apenas aqui neste momento e estar totalmente focado nestas palavras que estou a escrever, e depois cozinhar e comer o meu almoço, praticar exercício, e estar totalmente focado em fazer isso.

Para tudo o que eu estou a fazer, eu tento estar lá totalmente, e não divagar para o futuro ou para o passado.

Se eu divagar, então concentro-me apenas na minha respiração por alguns minutos, ou sento-me e observo o que está à minha volta, agora mesmo, com todos os meus sentidos, durante um curto período de tempo. Ao fazer qualquer uma dessas coisas, eu posso realinhar-me novamente com o momento presente.

4. Comparar-se a si mesmo e à sua vida com os outros e com as suas vidas.

Um hábito diário muito comum e destrutivo é comparar constantemente a sua vida e a sua pessoa com outras pessoas e com as suas vidas. Você compara carros, casas, empregos, sapatos, dinheiro, relacionamentos, popularidade social, e assim por diante. E no final do dia você tem a sua auto-estima de rastos e cria um monte de sentimentos negativos.

Como superar esse hábito:

Substituir esse hábito destrutivo com dois outros hábitos.

  • Compare-se a si mesmo. Primeiro, em vez de se comparar com as outras pessoas, crie o hábito de se comparar a si mesmo. Veja o quanto você cresceu, o que foi feito e o progresso que você fez para os seus objectivos. Este hábito tem a vantagem de criar gratidão, apreço e carinho por si mesmo, ao observar o quão longe você chegou, os obstáculos que superou e as coisas boas que você fez.
    Você sente-se bem consigo mesmo, sem ter que pensar menos das outras pessoas.
  • Seja gentil. Na minha experiência, a maneira como você se comporta e pensa em relação aos outros parece ter um efeito grande, grande na forma como você se comporta em relação a si mesmo e como pensa sobre si mesmo. Se julgar e criticar mais as pessoas, você tende a julgar e a criticar-se mais (muitas vezes quase automaticamente). Seja mais gentil com as outras pessoas e ajude-as, para que possa ser mais gentil e útil para si mesmo.

Concentre-se nas coisas positivas sobre si mesmo e sobre as pessoas à sua volta. Aprecie o que é positivo em si mesmo e nos outros. Desta forma, você sente-se melhor consigo mesmo e com as pessoas no seu mundo, em vez de as classificar e de se classificar a si mesmo, criando diferenças na sua mente.

E lembre-se, você não pode ganhar se continuar a comparar. Perceba apenas conscientemente que isto pode ser útil. Não importa aquilo que fizer, você pode quase sempre encontrar alguém no mundo que faz melhor, que tem mais ou que é melhor do que você em alguma coisa.

5. Concentrar-se nos detalhes negativos da vida.

Ver os aspectos negativos de qualquer situação em que está e viver sempre nesses detalhes é um caminho certo para se tornar infeliz. E para deitar abaixo o humor de todos à sua volta.

Como superar esse hábito:

Superar esse hábito pode ser complicado. Uma coisa que tem funcionado para mim é largar o vício do perfeccionismo. Você aceita que as coisas e as situações têm as suas vantagens e desvantagens, ao invés de pensar no que todos os detalhes têm de positivo e excelente. Você aceita as coisas como elas são. Desta forma, você pode deixar de ir emocionalmente e mentalmente para as coisas que são negativas, em vez de se manter sobre elas e começar a criar barreiras e dificuldades e a sofrer por antecipação.

Outra coisa que funciona é simplesmente concentrar-se em ser construtivo. Em vez de se concentrar em permanecer nos aspectos negativos e lamentar-se sobre eles. Você pode fazê-lo se fizer melhores perguntas. Perguntas como:

Como posso transformar este aspecto negativo em algo útil ou positivo?

Como posso resolver esse problema?

Se ser confrontado com o que estou a pensar é um problema, posso usar uma terceira solução, eu posso perguntar a mim próprio: quem é que se importa? Então, na maioria das vezes eu percebo que este não é de todo um problema a longo prazo.

6. Limitar a vida, porque você acredita que o mundo gira em torno de si.

Se você acha que o mundo gira em torno de si e você se retrai, porque tem medo do que as pessoas possam pensar ou dizer se você fizer algo diferente ou novo, então você está a colocar alguns grandes limites na sua vida. Como?

Bem, você pode tornar-se menos aberto a experimentar coisas novas e a crescer pessoalmente. Você pode pensar que a crítica e a negatividade que encontra é sobre si ou que a culpa é sempre sua (embora, na realidade, isso possa ser porque a outra pessoa está a ter uma má semana, ou porque você que pode ler mentes). Eu também descobri que a minha própria timidez costumava vir de mim, pensando que as pessoas se importavam muito com o que eu estava prestes a dizer ou fazer.

Como superar esse hábito:

  • Perceba que as pessoas não se importam muito com o que você faz. Elas têm muito com que se preocupar nas suas próprias vidas, e com o que as pessoas possam pensar delas. Sim, isso pode fazer você sentir-se menos importante na sua própria cabeça. Mas também o pode libertar um pouco mais, se você gostar disso.
  • Concentre-se no exterior. Em vez de pensar sobre si mesmo e como as pessoas podem percebê-lo o tempo todo, volte o seu foco para fora, para as pessoas à sua volta. Ouça-as e ajude-as. Isso irá ajudá-lo a aumentar a sua auto-estima e ajudá-lo a reduzir o seu foco egocêntrico.

7. Complicar a vida.

A vida pode ser muito complicada, e isso pode gerar stress e infelicidade. Mas muitas dessas coisas são muitas vezes criadas por nós. Sim, o mundo pode estar a tornar-se mais complexo, mas isso não significa que não podemos criar novos hábitos que tornem as nossas próprias vidas um pouco mais simples.

Como superar esse hábito:

Complicar a vida pode envolver muitos hábitos, mas eu gostaria de sugerir alguns hábitos de substituição para aqueles que têm sido alguns dos meus próprios hábitos de criar mais complicação.

  • Dividir a sua concentração e ter a sua atenção um pouco por toda a parte na vida quotidiana. Troquei esse hábito de complicação, fazendo apenas uma coisa de cada vez durante o meu dia, com uma pequena lista de coisas a fazer com 2-3 itens muito importantes, e escrevendo o meu objectivo mais importante num quadro branco que tenho por perto todos os dias.
  • Ter demasiadas coisas. Troquei esse hábito perguntando a mim próprio regularmente: eu usei isso no ano passado? Se não, então eu vou dar essa coisa ou deitá-la fora.
  • Criar na sua mente qualquer tipo de problemas de relacionamento. Ler mentes é difícil. Assim, em vez disso, faça perguntas e comunique. Isso irá ajudá-lo a minimizar conflitos desnecessários, mal-entendidos, negatividade e perdas de tempo e de energia.
  • Ficar perdido na inbox. Eu gasto menos tempo e energia com a minha caixa de e-mail, verificando-a apenas uma vez por dia e escrevendo e-mails mais curtos (se possível, não mais do que cinco frases).
  • Ficar perdido e oprimido no stress. Quando estiver stressado, perdido num problema ou com o passado ou o futuro na sua mente, tal como mencionei acima, respire com a barriga por dois minutos, e concentre-se apenas no ar a entrar e a sair. Isso vai acalmar o seu corpo e trazer a sua mente de volta novamente para o momento presente. Então você pode começar novamente a concentrar-se em fazer o que é mais importante para si.

Se você achou este artigo útil, por favor partilhe-o com alguém, usando os botões abaixo. Obrigado! =)

Pessoas Infelizes

7 hábitos comuns das pessoas infelizes
Vote neste artigo

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*