7 Chaves para evitar ficar parado depois de perder o emprego

Dar a volta por cima

Perder O Emprego

7 Chaves para evitar ficar parado depois de perder o emprego

Perder o emprego é muitas vezes um dos eventos mais traumáticos da vida de uma pessoa, e pode ter um impacto imediato e devastador sobre a vida social, emocional, financeira e familiar. Pior de tudo, ele pode fazer uma pessoa sentir-se incompetente, irritada, confusa e desanimada. Estes sentimentos geralmente levam à inacção – a não fazer nada, a deixar-se abater e sentir pena de si mesmo.

Isso é compreensível, especialmente quando você considera que muitos aspectos da nossa vida estão ligados com a nossa vida de trabalho, até mesmo o nosso próprio sentido de identidade pessoal e auto-estima. Perder o emprego é equivalente, psicologicamente, a uma experiência de fracasso e abuso. O resultado é verdadeiramente um choque. Muitos destes sentimentos persistem mesmo depois de uma pessoa conseguir um novo trabalho. Embora não haja curas mágicas, há algumas coisas que você pode fazer se estiver nesta situação.

A experiência combinada de psicólogo clínico e conselheiro de carreira levou-me a trabalhar com, literalmente, milhares de pessoas nesta situação difícil.

Aqui estão sete chaves que eu encontrei que ajudam as pessoas que passam por este momento, para que tenham a energia e a confiança para tomar as acções necessárias em busca do próximo trabalho.

  1. Não mantenha isso em segredo.

Muitas pessoas têm um sentimento de vergonha quando perdem o emprego. Sentem que os outros vão pensar menos delas e rebaixá-las, e por isso isolam-se e tentam evitar que os outros descubram. E, de facto, algumas pessoas não vão ser solidárias. Mas, para conseguir outro emprego, você precisa de apoio, aconselhamento, contactos e oportunidades semelhantes. E a maioria dessas oportunidades vêm das pessoas na sua vida pessoal e no seu trabalho.

  1. Tire alguns dias para superar o choque, e depois seja activo PROCURANDO um novo emprego. NÃO tire umas férias prolongadas.

Muitas pessoas sentem que já passaram por um momento tão duro, que se tivessem um período de férias seria bom para ajudá-las a relaxar, e então estariam prontas para entrar numa procura confiante de emprego. Então eles tiram tempo – não dias, mas semanas e às vezes meses – tempo crucial, e usam-no para umas férias prolongadas. Nesse processo, elas usam recursos preciosos – tempo e dinheiro – que agora estão simplesmente perdidos. E adivinhem? Quando voltam, acham que estão na mesma posição má em que estavam antes das férias. Mas agora perderam esse precioso tempo e dinheiro.

  1. Não olhe para trás nem viva no passado.

A tendência natural é para pensar por que razão você perdeu o emprego, ficar zangado com os outros, e saber o que você fez de errado. Basta pensar desta forma: a sua antiga empresa já não lhe paga para se preocupar com eles. Cada minuto que você gasta a pensar sobre a sua antiga empresa e sobre o que aconteceu é um minuto roubado ao seu futuro. Eles já não lhe pagam por isso. Você está a doar o seu tempo, você está literalmente dando-lhes “tempo de consultoria” grátis.

  1. Não tente fazer tudo sozinho. Procure ajuda de profissionais.

Vale a pena investir o seu dinheiro para obter orientação na procura de emprego, e um profissional para o ajudar a escrever o seu currículo. A maioria dos candidatos tentam fazer tudo sozinhos. Uma pessoa normal escreve dois ou talvez três currículos em toda a sua vida de trabalho. Eu não digo isso para me gabar (porque isso é parte do meu trabalho), mas eu escrevi para cima de 10 mil currículos como profissional de aconselhamento de carreira. Mas a maioria das pessoas prefere começar o seu currículo e aconselhamento na procura de emprego a partir de um livro de € 20 ou numa coluna de jornal semanal, em vez de pagar a mim ou aos meus colegas pelo nosso tempo e experiência. Nós sabemos o que é eficaz e o que não é. Eu tenho visto pessoas que me procuram depois de passar por vezes um ano à procura de trabalho, antes de procurar a ajuda que iria tornar a sua busca de trabalho bem sucedida.

  1. Seja proactivo. Não espere.

Não deixe que a Lei de Parkinson determine as suas acções. A Lei de Parkinson, como você poderá lembrar-se, afirma que o trabalho se expande de modo a preencher o tempo disponível para a sua conclusão. Uma pessoa em busca de um emprego faz da sua tarefa do dia escrever uma carta ou fazer um telefonema. Não se mime. Não espere para se “sentir confiante”. Conseguir um emprego é um “jogo de números” – quanto mais potenciais empregadores você tiver na sua frente, mais oportunidades terá de conseguir um emprego. Faça as coisas que tem de fazer, independentemente de como estiver a sentir-se.

  1. Tome as medidas que lhe permitem obter um emprego.

Não faça só umas coisitas para se convencer que está a trabalhar arduamente para conseguir um emprego. Por exemplo, o que acha que é a maneira mais eficaz de procurar um emprego? Bem, a maioria das pesquisas e opiniões das profissões indicam que algum tipo de contacto pessoal (por exemplo, a rede pessoal, recorrer a recrutadores e agências de emprego, entrar em contacto com o seu centro de formação) é responsável por aproximadamente 70% dos novos contratados. Por outro lado, as ofertas na Internet contam talvez 10% (no máximo), mas, provavelmente, menos que 5% dos novos contratados. Mas como acha que a maioria dos candidatos a emprego gastam o seu tempo? Certo – na Internet. Adivinhe o que é que eles evitam mais fazer? Certo – usar a rede pessoal. Porquê? Porque sentado ao computador é muito mais fácil e muito mais agradável do que a rede pessoal.

  1. Mantenha o seu foco em como pode fazer a diferença para um potencial empregador.

Muitas pessoas que perdem os seus empregos também perdem a sensação de que fazem a diferença e que o seu trabalho conta para alguma coisa. Sem saber ou estar ciente de como você adiciona valor para o sucesso de uma organização, você pode facilmente derivar para sentimentos de apatia e inutilidade. Na altura em que perdeu o seu emprego, é muito fácil concentrar-se nas fraquezas, nas falhas e na rejeição. Em vez disso, concentre-se nos seus pontos fortes e no seu valor.

Armado com estas atitudes e métodos, você não só pode começar após o choque de perder o emprego, mas estar num melhor estado de espírito para fazer as coisas que você precisa de fazer para passar à próxima.

Perder O Emprego

7 Chaves para evitar ficar parado depois de perder o emprego
4.5 (90%) 4 votos

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*